Empresa especializada em vendas de imóveis de médio/alto padrão

tabela-sac-ou-price-qual-escolher-no-financiamento-imobiliario - Lilian Agostinho Imobiliaria em Guaratinguetá
Quando você decide assumir um financiamento imobiliário é essencial — antes de qualquer coisa — conhecer os mecanismos mais adotados pelas financeiras. Você sabe o que significa amortização e como funcionam os dois sistemas mais utilizados: tabela SAC e Price? A tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC) — as duas principais ferramentas de financiamento — contam com particularidades que devem ser esclarecidas. Afinal, quando você decide comprar um imóvel, sabe que entrará em um financiamento, na maioria dos casos, bem longo. Vamos saber mais? Continue, então, a leitura e conheça as principais características e diferenças sobre esses dois mecanismos de financiamento imobiliário!

O que é amortização no financiamento imobiliário?

A primeira coisa que você deve saber é sobre o significado do vocábulo amortizar: que quer dizer pagar em prestações; abater parte de um empréstimo ou de uma dívida etc. Ou seja, significa que as parcelas serão pagas mensalmente. No entanto, para isso, é necessário realizar alguns cálculos que incluirão juros, taxas e outras despesas. Devemos entender que um financiamento é um empréstimo de uma instituição financeira. Para efetuar o pagamento é feita uma divisão desse valor em um número acordado de parcelas que deverá ser pago mensalmente — isso é amortização.

O que é tabela SAC e como funciona?

Trata-se de um sistema que financia imóveis. Sua principal característica é a diminuição no valor das parcelas que ocorre a cada prestação paga.

Como calcular a amortização e os juros?

Para calcular o financiamento de um imóvel pela tabela SAC, dois valores devem entrar na conta: juros e amortização (que vamos chamar neste texto de parcela principal, para ficar de melhor entendimento). Confira como fazer o cálculo: Amortização: dividindo-se o valor da dívida pelo número de prestações acha-se a quantia da parcela principal. Por exemplo, uma dívida de R$ 400.000,00 para ser paga em 360 parcelas, resulta em um total de R$1.111,00. Logo, o valor da parcela principal é de R$ 1.111,00 ao mês. Juros: para esse cálculo, pega-se o valor da dívida total e multiplica-se pelos juros. Por exemplo, se o financiamento está no começo o cálculo da primeira parcela seria: R$ 400.000,00 x 1% = R$ 4.000,00. Prestação= Juros + amortização Neste método de financiamento, a cada parcela que você pagar, os juros sempre serão calculados sobre o saldo devedor restante, este será somado à parcela principal — que, como já falamos neste post, se manterá constante do início ao fim da dívida. Resumindo: na tabela SAC, a parcela principal se manterá a mesma até a última prestação da dívida. O que se altera no decorrer do financiamento são os juros — que a cada mês têm um valor diferente e são somados ao saldo devedor (que também muda, já que diminui a cada mês).

O que é tabela Price e como funciona?

Da mesma forma que a tabela SAC, o sistema Price também é uma ferramenta de amortização utilizada em financiamentos imobiliários. Neste tipo de financiamento, os juros fazem parte das primeiras prestações. O sistema funciona com o aumento progressivo da parcela principal e a diminuição dos juros. Estes se concentram nas prestações iniciais. Contudo, o que ocorre é que enquanto os juros diminuem, o valor da parcela principal aumenta. O cálculo é feito de forma que as prestações permaneçam iguais até o término da dívida. Na realidade, o valor total não sofre alteração, somente sua composição — juros e parcela principal.

Desvantagem

Nesse sistema, a maior desvantagem é o custo elevado, uma vez que os juros são altos. Na verdade, o valor total do financiamento quando é acrescido dos juros fica caro para o consumidor. Diferentemente do que o que ocorre com o sistema SAC, os juros no sistema Price são embutidos no valor total e seu cálculo não é feito a cada mês em cima do saldo devedor. Ou seja, o montante final do empréstimo fica mais alto — aquele valor inicial sofre alteração e fica bem alto quando entram as taxas e juros. Isso se deve ao fato de o cálculo ser feito por juros compostos, que quer dizer juros sobre juros — que torna o total do empréstimo maior.

Quais as principais diferenças entre tabela SAC e price?

Na tabela Price o valor da amortização (total do imóvel dividido pelo número de prestações) é crescente, começando baixo e aumentando aos poucos. Mas a prestação (que é a soma dos juros com a amortização) mantém-se a mesma do início ao fim do financiamento. Na SAC, o valor da parcela é mais alta no início e reduz à medida que o tempo passa, pois é somada a cada mês aos juros do saldo devedor, conforme já explicado. Nesse sistema de financiamento imobiliário, as parcelas de amortização permanecem intactas do início ao fim, o que muda são os juros que são maiores no início, pois incidem a cada mês sobre o saldo devedor.

Qual a melhor opção de financiamento?

Os dois casos devem ser analisados para que a opção tenha a ver com o perfil financeiro do devedor. O método SAC termina com prestações menores, já as iniciais são bem maiores e pode ser mais complicado pagá-las. O Price, por sua vez, tem as taxas de juros maiores, mas como as prestações são iguais do início ao fim, possibilita que o devedor se planeje durante o financiamento. Vale ressaltar que a Tabela SAC tem uma influência psicológica sobre o devedor, principalmente se ele não tem perspectivas de um aumento na sua renda familiar. Por essa forma de financiamento, ele se sente mais tranquilo em saber que as parcelas vão diminuindo com o tempo. Como você pode conferir neste post, tabela sac e price são duas formas de entrar em um financiamento imobiliário. No entanto, é fundamental escolher a que mais se encaixa ao perfil do comprador, visto que, por ser uma longa dívida, requer um bom planejamento financeiro.              
Fonte: blog.movingimoveis.com.br/tabela-sac-e-price/

ENCONTRE UM IMÓVEL

Desenvolvido por Orions Sites